Caixa de texto: jgfporto@gmail.com

Associado

M65 e M66

Saturno em 23 de Abril 2011

Caixa de texto: Actividade do 24º Ciclo Solar (de Abril a Junho 2011)

28/04/2011

1195 e 1199

 

30.04.2011

1195, 1199, 1203

 

 

03.05.2011

1203 e 1204

 

 

06.05.2011

1203, 1204 e 1205

 

 

30.05.2011

1223, 1224, 1225, 1226, 1227 e 1228

 

16.06.2011

1234 e 1236

 

 

 

 

 

 

Stack de 500 frames com RegiStax v5
Muita nebulosidade alta e poluição luminosa sub-urbana

Celestron 203mm f/25 com SPC900nc

Não é o suprasumo da astrofotografia nem podia ser, mas apenas serve para mostrar que com a performance tecnológia existente nos dias de hoje é possivel obter coisas destas em 2 minutos, apesar da poluição luminosa e do muito "ruído" de fundo. Uma Canon 350D desfiltrada a 1600ISO, com um Celestron de 203mm de diâmetro a f/10 e com 4 exposições de 35 segundos cada, consegue obter uma imagem da M104 que só com muito esforço seria possível fazer apenas há 20 anos atrás. Não desmerece o software no processamento e que aqui foi aplicado com o Íris e o Adobe Photoshop CS3.

O que é possível fazer em 2 minutos!!

Serão de 6 de Maio. O céu surge com uma "aberta" com uma brisa ligeira soprando de NW e prometendo algumas horas de estabilidade atmosférica para uma pequena sessão observacional e de astrofotografia.
Montámos o equipamento e a meio da sessão a estação de energia começou a falhar e a induzir arrastamento no acompanhamento da deriva estelar. A poluição luminosa de repente aumenta ssustadoramente com um vizinho a acender um potente foco de luz no seu quintal para iniciar uma sessão de bricolage. Não haja dúvida ...a Lei de Murphy está em alta.
O resultado é o que apresentamos com a galáxia NGC3972 deslocada junto ao bordo superior mas permitindo ainda ver a Supernova 2011by.

No campo inferior situam-se outras galáxias de valor de magnitude muito alto. Em todo o caso foi uma sessão inesperadamente curta com muito ruído electrónico á mistura e com uma estação de energia claudicante que não nos permitiu centrar no campo do CMOS o nosso objectivo.


Apresentamos também o campo estelar simulado pelo SkyMap pro 11 de modo a dar uma ideia mais concreta do que pretendíamos.

OASA 2001-2011: 10 anos de existência comemorados no dia 10 de Maio.
Numa singela cerimónia foram festejados os 10 anos de existência do OASA, bem como realçado o trabalho aturado iniciado pelos astrónomoa amadores açorianos reunidos em torno do NAAPAA (Núcleo Açoriano da Associação Portuguesa de Astrónomos Amadores), e continuado pela actual equipa do OASA, Daniela Gabriel, Nuno Pereira e Pedro Garcia.
Anualmente tem sido abrangidos mais de 10.000 pessoas pelas acções de divulgação de Astronomia em todo o Arquipélago, numa permanente actividade de descodificação do conhecimento científico junto a escolas, instituições públicas e privadas e população em geral.
É o reconhecimento deste trabalho levado a cabo pelo NAAPAA e OASA que agora teve públicamente lugar.

Organizado pela Fundação para o Desenvolvimento Sócio Cultural da Ribeira Grande, representada pela Dra. Helena, contou com a presença de Ricardo Silva, Presidente da Câmara da Ribeira Grande e José Contente, Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos

Envolveu discursos e um bolo gigante que foi partilhado por todos os presentes.
O Secretario Regional da C&T, José Contente fez questão de referir a estratégia que tem orientado o desenvolvimento desta área na Região Autónoma dos Açores e de salientar o contributo dado pelos astrónomos amadores.

Foi depositado em lugar de destaque o invólucro datado da altura do lançamento da 1ª pedra do OASA.

Inaugurada também uma pequena exposição sobre os 10 anos de vida do OASA

Descoberto pelo russo Leonid Elenin do Keldysh Institute of Applied Mathematics de Moscovo, o cometa C/2010 X1 Elenin tem sido dos cometas de longo período mais observados (estima-se em mais de 1300 imagens ccd) e baladados dos últimos tempos devido ao facto de em Outubro passar mais perto do nosso planeta, a cerca de 35.000.000 quilómetros, com uma magnitude visual prevista de 4.0, o que o tornará acessível a binóculos e pequenos telescópios. Assim em meados de Outubro quando estiver entre o Sol e a Terra a sua cauda de poeiras e gelo atravessada pela luz solar deverá constiruir um belo espectáculo a olho nu e que se manterá até meados de Novembro.

Entretanto as teorias catastrofistas e da teoria da conspiração tem neste cometa um objecto preferido que vem confirmar todas as previsões do fim-do-mundo, inclusive como o causador do maremoto japonês e dos sismos que tem abalado o mundo ultimamente.

A imagem aqui presente foi obtida na noite de 30 de Maio que apresentava grande turbulência atmosférica em altitude. Resulta da integração de 8x45 segundos com uma Canon 350D modificada e com filtro CLS com um Celestrom 203mm a f/10. Inseriu-se um mapa da região do céu com a localização provável do cometa para melhorar a sua identificação já que as condições não eram as melhores para astrofotografia. 

Caixa de texto: Ver mais notícias em http://spaceobs.org/en/tag/c2010-x1-elenin/

Apesar do céu estrelado havia ventos fortes em altitude provocando grande turbulência que se manifestava na contínua focagem-desfocagem dos objectos visados. Mesmo assim ficam aqui algumas imagens, nomeadamente da Supernova 2011by que continuava muito brilhante, do cometa C/2010 G2 Hill com uma magnitude ainda muito fraca, da galáxia NGC4565 e da Nebulosa Planetária do Anel a M57.

A mais recente Supernova  descoberta (a SN2011dh) foi na galáxia M51 pelo astrónomo amador Stéphane Lamott Bailey com uma magnitude de cerca de 14 é uma Supernova do tipo II, que teve como origem uma estrela gigante vermelha com mais de 8 massas solares. A Galáxia M51 é uma das Galáxias espirais mais próximas da nossa Galáxia, encontrando-se segundo as últimas medições a cerca de 23 milhões de anos-luz.
A imagem foi obtida numa "aberta" que durou 1h 30m e que deu "á justa" depois de  instalar o equipamento e colocá-lo em estação, para fazer 20 imagens de 40 segundos.
Mais informação
http://www.rochesterastronomy.org/sn2011/sn2011dh.html
e aqui
http://es.arxiv.org/PS_cache/arxiv/pdf/1106/1106.3551v1.pdf

A Supernova SN2011by foi descoberta por Zhangwei Jin, Ningbo, Zhejiang, China, e Xing Gao, Urumqi, Xinjiang, China em 26 de Abril de 2011. Situa-se na galáxia NGC3972 a cerca de 46 milhões de anos-luz na constelação da Ursa Maior e é to tipo IA.
Foi descoberta com um Celestron de 14”. A imagem foi obtida com um Celestron 8” e uma Cânon 350D modificada e com um filtro CLS da Astronomik.
No momento apresentava uma magnitude visual de 13.7 bastante persistente. Na imagem, produto da integração de outras 13 x 45 segundos, vêem-se outras galáxias como a NGC3977 e NGC3982.
A imagem foi
obtida na noite de 17 de Junho de 2011 em Ponta Delgada, Fajã de Baixo.Ver mais informação em http://www.xjltp.com/XOSS/XM20ZJ/XM20ZJ.htm

A SN2011dh continuava a crescer no seu brilho e a prova são as duas imagens aqui presentes realizadas a 8 e a 23 de Junho. Apesar da imagem de 23 de Junho ser apenas a integração de 5x60s com a Lua em Quarto Minguante, enquanto a do dia 8 do mesmo mês ser com uma integração superior, a supernova apresenta um brilho muito maior. Este facto foi reportado por outros observadores.

Garradd, G2 Hill e Elenin, Vesta e Eclipse Lunar

Cometa C/2009 P1 Garradd situava-se de momento a SE da constelação do Pégaso e por cima da do Aquário apresentando já uma magnitude visual em torno dos 10.5. Enquanto o cometa X1 Elenin atraía todas as atenções com notícias disparatadas "do fim do mundo", este Garradd aingiria em Setembro uma magnitude perto de 5 que o tornaria um objecto visível binocularmente. A imagem é o resultado da integração de 3 x 50 segundos a ISO1600 com Canon 350D modificada, filtro CLS e Celestron 203mm a f/10.
Obtidas ás 02:00 da manhã em condições pouco propícias para astrofotografia pois dado o cometa estar muito baixo
no horizonte e haver extinção atmosférica, rodeavam-no construções humanas tais como uma chaminé e um telhado de uma casa vizinha.

Caixa de texto:   Serões de Abril, Maio e Junho