Caixa de texto: jgfporto@gmail.com

Associado

Caixa de texto:   Nebulosas no Sagitário              ver aqui astronomia em Rocas do VougaCaixa de texto: Actividade do 24º Ciclo Solar (de Julho a Dezembro 2011)

06.09.2011

1283, 1287 e 1288

 

 

 

11.09.2011

1283, 1287, 1288 e 1289

 

 

 

13.09.2011

1287, 1289, 1290,  1292, 1295 e 1297

 

 

 

18.09.2011

1289, 1294, 1295, 1296 e 1299

 

22.09.2011

1295, 1301 e 1302

23.09.2011

1295 e 1302

 

 

 

Cometa C/2009 P1 Garradd: a sua evolução ao longo do ano.

Celestron 203mm f/10, Canon 350D modificada a 1600ISO, 21x40s integração

Galáxias para todos os gostos

Sob condições adversas de grande poluição luminosa urbana e com a constelação do Leão já a esconder-se por detrás de um pico e com o fenómeno de extinção atmosférica a fazer das suas, aqui fica o nosso testemunho na noite de 2 para 3 de Julho na Fajã de Baixo.
Celestron 203mm a f/10 com Canon 350d modificada , filtro clip system Astronomik CLS e montagem equatorial alemã com integrações de 20x 450s e 24x45s a 1600 ISO, software Irís, Neat e CS3.

Supernova na M101

Situada a 58",6 W e 270",7 S do centro da galáxia M101 é do tipo Ia e foi descoberta a 24 de Agosto pelo Palomar Transient Factory.
Imagem resultante da integração 18x60s com Celestron 203mm f/10 e Canon 350D modificada com filtro CLS clip system a 1600ISO.

Cometa 213P Van Ness na constelação de Peixes com apenas integração de 8x45s mv entre 14.5 e 15.0

  Cometa P/2006 T1 Levy

24.09.2011

1302 H-alfa

 

 

 

25.09.2011

1302 e 1303

 

 

01-10-2011

1302, 1305 e 1306

 

18.10.2011

1314,1316,1317, 1319, 1321 e 1324

 

 

22.10.2011

1324, 1325 e 1327

 

24.10.2011

29.10.2011

1330

 

 

Na noite de 8 de Outubro, entre as 21:00 e as 21:30 Hora Local, na Região da Polar não passaram quaisquer draconídeas. Em todo o caso vimos no mesmo período cerca de uma dúzia a cruzar os céus noutras regiões .

Outro cometa tão "baladado" pelas teóricos das conspirações e adeptos ferverosos das catástrofes, é o P/2006 T1 Levy que deveria apresentar uma magnitude 11 segundo o IAU Minor Planet Center (ver efemérides aqui) mas que a nossa pesquisa rápida (integração de 8x35s) mal deu para o ver.
Para Janeiro alguns previam uma magnitude visual em torno de 5 o que daria um belo espectáculo. Duvidamos sériamente...
Apresentamos o mapa gerado pelo Skymap 11 no dia e hora da nossa observação, da região onde deveria estar a brilhar com mais intensidade.

Mais informação em

Caixa de texto:  Diversos: M13 e Conjunção Lua -  Júpiter

+LUZ - Ciclo de Palestras Sobre Astronomia


Título: "As Grandes Tempestades do 23º Ciclo Solar" Data: 21 de Outubro de 2011, às 20h00Local: Instalações do Observatório Astronómico de Santana - Açores

Autor: João Gabriel Fonseca Porto, sócio da Associação Portuguesa de Astrónomos Amadores  Resumo Em Maio de 1996 iniciava-se o 23º Ciclo Solar que viria a ter uma duração mais prolongada do que o esperado, pautado por tempestades solares violentas numa escala gigantesca e sem precedentes. Com instrumentação amadora fizemos o seu acompanhamento, registando quase diariamente os distúrbios causados pelas erupções solares com as suas Ejecções de Massa Coronal e rajadas de Vento Solar na Magnetosfera terrestre, bem como as interferências causadas nas redes de satélites e de comunicações e os seus efeitos imprevisíveis no clima. O impacto destes fenómenos radicais na vida do nosso planeta e as suas consequências a médio e longo prazo são assuntos que se tornaram mediáticos e que estão na ordem do dia. Pretendemos com esta exposição, dentro do espírito que norteia o Observatório Astronómico de Santana Açores, revelar a natureza destes fenómenos, descodificando em linguagem acessível o que parece ser á primeira vista muito complicado, mostrando também que é possível aos astrónomos amadores contribuírem para a divulgação da ciência.

01.11.2011

1330

 

02.11.2011

1330, 1337, 1338 e 1339

03.11.2011

1339

 

07.11.2011

1330, 1338, 1341, 1342 e 1343

10.11.2011

1338/1344

 

13.11.2011

1338/1344

 

 

 

 

10.12.2011

1363/1375

Imagem resultado da integração de 5x45s com C8 f/10 + Canon 350D modif a 1600ISO
Presença de muita poluição luminosa no quadrante Oeste o que introduziu muito ruído na imagem apesar do pré-processamento (flat-dark-bias).
Processamento com Irís.
Na imagem o asteroíde faz a sua entrada no quadrante superior direito sendo registado por 4 imagens com a duração de 45 segundos cada.
Magnitude visual calculada: 15.35
Local: Fajã de Baixo, Ponta Delgada
Em baixo o mapa da região do céu produzido pelo SkyMap 11 com inserção do campo abrangido pelo CMOS da Canon 350D + C8 f/10